Notícias


Estudo mostra que Bento Gonçalves iniciou sua recuperação econômica

17/11/2018 Portal Adesso - Foto: Arquivo Ascom/ Davi Da Rold

     A análise da conjuntura econômica, juntamente com dados obtidos junto às fontes oficiais, indica uma recuperação da economia de Bento a partir deste ano. É o que mostrará a revista Panorama Socioeconômico. "As importações e exportações dão sinal de melhora e houve maior criação de empregos no período", diz a professora Cíntia Paese Giacomello, integrante da equipe técnica da Universidade de Caxias do Sul (UCS) que produziu a 47ªedição da publicação.

     Segundo a revista do Centro da Indústria, Comércio e Serviços (CIC-BG), cujo lançamento será no dia 26 de novembro, na sede da entidade, o saldo da balança comercial foi positivo. Conforme dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDCI), de janeiro a julho de 2018 as exportações de Bento Gonçalves totalizaram US$ 40,1 milhões, o que representa um decrescimento de 6,12% na comparação com o mesmo período de 2017. As importações, por sua vez, alcançaram um volume de US$ 25,4 milhões, o que representa um crescimento de 26,4% na comparação com o mesmo período do ano anterior. O saldo da balança comercial está em US$ 15,5 milhões.

     Bento Gonçalves apresentou um saldo positivo acumulado de 1.072 empregos entre janeiro e setembro de 2018, ocupando a 7ª posição no Estado. No mesmo período de 2017, esse valor era de somente 11 empregos, grande parte em função da indústria de transformação e à construção civil. A cidade registrou ainda, em 2017, receitas superiores a 2016. Em termos percentuais, o aumento foi de 6,09%, superior à inflação nacional de 2,95%, segundo IPCA. As Transferências Correntes do Estado se mantiveram, enquanto as Transferências Correntes da União aumentaram 3,2%. Quanto às receitas tributárias (tributos municipais), o volume arrecadado apresentou um crescimento de 24,11% em relação a 2016. Os tributos que apresentaram maior crescimento em 2017 foram o ISS e o ITBI, com uma variação positiva de mais 31% cada.

     A relação entre o número de inscrições de CNPJ no município em 2017 com a população estimada pelo IBGE para este mesmo ano (115.069) é de aproximadamente uma inscrição para cada 7,4 habitantes. Analisando somente os dados de PJ, a relação é de uma empresa para cada 11,2 habitantes. A relação, considerando o ano anterior, se manteve para as PJ, mas melhorou se for considerada a quantidade de MEIs no cálculo (passou de 7,8 para 7,2 habitantes por inscrição).

     Quanto à segurança, as ocorrências informadas pela Secretaria da Segurança Pública do Estado do Rio Grande do Sul mais frequentes foram, respectivamente, furtos, roubos e furto de veículos. No ano passado foi observada redução de 4% nas ocorrências, no comparativo com 2016, após dois anos de aumento. Comparando o período de janeiro a julho de 2017 com o mesmo período de 2018, observou-se uma redução de 24% (2.012 ocorrências em 2017 versus 1.530 em 2018) no número total de ocorrências.

 

 

MAIS NOTÍCIAS