Geral


Alunas de Carlos Barbosa são premiadas com pesquisa para o tratamento do Parkinson

Projeto das alunas Brenda e Sabrina ficou em primeiro lugar na feira da UCS e foi selecionado para a Febrace
10/06/2021 Portal Adesso - Foto: Divulgação

     Duas alunas da Escola Estadual de Ensino Médio Elisa Tramontina, de Carlos Barbosa, foram premiadas em uma feira nacional com uma pesquisa para o tratamento do Parkinson. Brenda Victoria Facchini Bonatto e Sabrina Machado Zaro, juntamente com a professora Sandra Seleri, desenvolveram um estudo para comprovar a viabilidade de extração de canabidiol da planta arruda (Ruta graveolens), a fim de criar um extrato para possível controle de tremores ocasionados pela doença. 

     A pesquisa recebeu prêmio destaque na área da natureza, na mostra municipal de Carlos Barbosa, recebendo também uma credencial para a Mostraseg, realizada pela Universidade de Caxias do Sul (UCS). Na feira realizada pela UCS, o projeto das alunas ficou na primeira colocação, premiando as estudantes com uma bolsa de estudos na Universidade e credencial para a Mostratec, em Novo Hamburgo.  Nesse evento, a pesquisa recebeu o prêmio “Revista Liberato”, com direito a publicação de artigo na revista da instituição.

     Em março, a pesquisa foi selecionada para a Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace), que ocorreu de forma online. Na ocasião, o projeto recebeu o Prêmio ABRIC de Incentivo à Ciência, o Prêmio Sociedade Brasileira de Bioquímica e Biologia Molecular (SBBq) e, ainda, foram selecionadas para participar da INFOMATRIX Brasil, que acontecerá em setembro.

     A pesquisa foi nomeada de “Estudo da viabilidade da extração de canabidioides da Ruta graveolens no possível controle dos tremores do Parkinson”. As alunas, então, desenvolveram um extrato de arruda que, comprovadamente, possui canabidiol em sua composição. Dessa forma, os três objetivos da pesquisa foram alcançados: encontrar uma planta comum que possua canabidioides, salvo a cannabis ativa, desenvolver um método de extração específico para ser usado em tal planta e realizar testes para comprovar a existência de canabidioides no extrato resultante.


MAIS NOTÍCIAS