Coronavírus


Infectologista fala sobre o crescimento da variante Delta em Garibaldi

Fernanda Weber foi uma das convidadas do programa Prato Limpo desta segunda (23)
24/08/2021 Portal Adesso - Foto: Reprodução/ADESSO TV

     Fernanda Weber, médica infectologista que atua no Hospital Beneficente São Pedro de Garibaldi (HBSP) comentou sobre o crescimento recente de casos da variante Delta, em participação no programa Prato Limpo desta segunda-feira (23), no ADESSO TV. Até o momento, seis pacientes já foram diagnosticados com a presença da cepa em Garibaldi e um em Carlos Barbosa. 

     Sobre os perigos da variante, a Infectologista falou que uma das principais diferenças com o vírus da Covid-19 é a taxa de transmissão. “É muito mais fácil pegar a variante do que se for comparar com a primeira cepa da Covid-19. No início, tínhamos uma média de sete dias entre o contato com uma pessoa doente e nós mesmos termos os sintomas. Atualmente, esse número pode ser de três a quatro dias, porém o problema é que já posso estar transmitindo antes mesmo de ter os sintomas”, comentou.

     Sobre uma maior flexibilização dos protocolos de segurança, estabelecidos pela Associação dos Municípios da Encosta Superior do Nordeste (Amesne), Weber comentou que a via de transmissão do vírus mudou e essa nova abertura dos protocolos pode acarretar em grandes problemas logo adiante. “Hoje em dia a maior via de transmissão é a respiratória, então por isso é aconselhado o distanciamento de dois metros entre cada pessoa. Temos também a infecção de partículas pequenas de saliva e aí está o grande problema de aglomerações em ambientes fechados, pois quanto maior o número de pessoas em um mesmo ambiente, maior o risco de contágio. Então acho essa decisão temerária”, afirmou. 

     Para acompanhar a entrevista completa com a médica infectologista, Fernanda Weber, acesse o link: https: //www.facebook.com/PortalAdesso/videos/818885602150892


MAIS NOTÍCIAS