Saúde


Dr. Cláudio Dalmaz fala sobre a conscientização ao câncer infanto-juvenil

Um dos médicos mais antigos de Garibaldi participou do Prato Limpo desta sexta (10), no ADESSO TV
10/09/2021 Portal Adesso - Foto: Reprodução/ADESSO TV

     O médico pediatra Cláudio Dalmaz, um dos mais antigos em atividade no município de Garibaldi, foi um dos convidados do programa Prato Limpo desta sexta-feira (10), no ADESSO TV. Na ocasião, o doutor comentou sobre a campanha “Setembro Dourado”, que visa conscientizar a população a respeito dos perigos do câncer infanto-juvenil. 

     Com mais de 40 anos de atuação no município, Dalmaz é reconhecido pelos garibaldenses como um dos principais, se não o principal pediatra do município. Seu ótimo trabalho e, principalmente, o tratamento com os pacientes, o tornaram muito querido e respeitado na cidade, sendo frequentemente elogiado em mensagens enviadas pela audiência do programa.

     O câncer infanto-juvenil é a segunda maior causa de morte de um aos 19 anos, e o pediatra tratou logo de alertar as pessoas sobre a importância e a seriedade do assunto. “O câncer infantil é muito importante. É um assunto que interfere profundamente na história da família e acaba acarretando em problemas sociais importantes. É uma doença que depende de muitos fatores, sendo uma doença celular, onde a um crescimento desordenado das células que ocasionarão em um tumor. Hoje no mundo, já ultrapassamos mais de 200 mil casos de câncer na criança, então é um assunto de suma importância. É rápido e invasivo, mas responde bem a quimioterapia”, afirmou Dalmaz.

     Questionado sobre os sintomas que a doença pode trazer a criança, o pediatra falou que não há apenas um sintoma específico, e sim vários, sendo alguns muito parecidos com outras doenças. “Sintomas dos mais diversos possíveis. Todos os sintomas de outras doenças aparecem em casos de câncer infantil, como dor de cabeça, dores no corpo, aumento de volume em alguma parte do corpo, tosse que não sessa, entre outros”, comentou.

     As causas da doença também são variadas, e Dalmaz cita que existem diferenças das causas do câncer na criança para o adulto. “As causas também são das mais variadas, pode ser alimentação, genética, entre outras. Mas não podemos atribuir fatores que servem para os adultos em crianças, pois são idades e organismos diferentes”, destacou.

     O pediatra afirmou também que deseja escrever um livro sobre algumas das histórias de pacientes que passaram pelo seu consultório. Inclusive no programa, ele contou sobre um caso de um menino de dois anos e nove meses, que foi diagnosticado com câncer de cerebelo, na parte superior do cérebro, e que buscou tratamento com o doutor. “Esse menino era muito meu amigo e tivemos de fazer a cirurgia e, após as quimioterapias, que custavam R$ 350 mil. Entrei em contato com um amigo meu que é presidente do Instituto do Câncer Infantil e conseguimos todo o tratamento pelo SUS. Após a última sessão, o menino veio me ver, pois disse a mãe que queria muito me ver. Aquilo foi uma despedida, pois no sábado a médica me ligou dizendo que ele infelizmente havia falecido. Foi um caso muito triste, mas que mostra que devemos ter cuidado e muito alerta com essa doença”, falou Dalmaz.

     Se os sintomas da doença são severos, seu tratamento tem uma eficácia muito grande, tendo índice de cura superior a 70%. “A vantagem é que a doença responde muito bem ao tratamento. O índice de cura passa de 70%, então é uma vantagem muito grande. É uma doença complexa que atinge um ser em crescimento e que precisa de uma ajuda enorme. Por isso que o envolvimento da família e dos médicos precisa ser grande”, comentou o pediatra.

     Sobre o trabalho realizado por um pediatra, Dalmaz cita o tratamento com a criança como um dos fatores fundamentais para que o atendimento seja bem feito. “Sempre que se fala com uma criança, tem que se falar com ele como falamos com outras pessoas. Se falarmos com ela da forma correta, vamos estar transmitindo a forma correta dela aprender a falar. Então assim como os casos de câncer, temos que abrir o jogo e falar a verdade, pois a verdade conquista o paciente”, falou.

     Para acompanhar a entrevista completa com o médico pediatra Cláudio Dalmaz, acesse o link: https://www.facebook.com/PortalAdesso/videos/584902345850834  




MAIS NOTÍCIAS