Economia


Bento está entre as cidades gaúchas que mais geraram emprego no ano

Indústria foi quem mais contribuiu, criando 301 empregos em agosto
07/10/2021 Portal Adesso - Foto: Divulgação

     Com um saldo positivo de 385 vagas de empregos geradas, Bento Gonçalves foi a 8ª cidade gaúcha que mais criou postos de trabalho no mês de agosto. A performance também contribuiu para o município se posicionar como o 9º nesse quesito no acumulado dos primeiros oito meses do ano, com 2.371 vagas criadas. 

     Conforme o boletim apresentado pelo Observatório da Economia (OECON), do Centro da Indústria, Comércio e Serviços de Bento Gonçalves (CIC-BG), baseado nos números do Novo Caged, a indústria foi quem mais contribuiu, criando 301 empregos em agosto, principalmente nos setores de móveis, de máquinas e equipamentos e de alimentos. “Os números deixam evidentes a retomada da economia”, diz Fabiano Laerentis, integrante da equipe do órgão do Centro da CIC-BG. No acumulado entre janeiro e agosto, a indústria responde por 58% do saldo total de empregos gerados (+1.386).

     Pelo quinto mês seguido, o segmento econômico mais atingido pela pandemia registrou criação de vagas. O setor de serviços, a partir das atividades associadas ao turismo, à tecnologia da informação (TI) e à educação, principalmente, gerou saldo de +75 em agosto. Entretanto, pelo terceiro mês consecutivo o comércio computou saldo negativo, com -7. Conforme o OECON, uma das causas foram as demissões ocorridas em supermercados (-25) e venda de combustíveis (-11).  Entre as novidades apresentadas neste boletim pelo OECON estão as características do contingente de empregados. A maioria deles é do gênero masculino (53%), tem entre 18 e 24 anos (44%), possui ensino médio completo (47%) e trabalha na produção de indústrias (46%).

     Em relação à evolução do emprego formal, o crescimento é superior a 5% em relação a 2020. Na série de dados entre 2012 e 2021, serviços ultrapassa os números de 2019 (18.100), os maiores até então, atingindo 18.159. Comércio apresenta o melhor desempenho até o momento (7.270), mesmo com os saldos negativos dos últimos meses. Construção se aproxima bastante dos números de 2014, o melhor desempenho do setor. Já a indústria, por sua vez, está a 1,1 mil empregos do desempenho de 2013, quando passava dos 20 mil empregados.


MAIS NOTÍCIAS