Coronavírus


Famurs defende autonomia dos municípios para adesão do passaporte vacinal

Comprovante será exigido para acesso em atividades e locais onde há maior risco de contágio
20/10/2021 Portal Adesso - Foto: Divulgação/Famurs

     O presidente da Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs) e prefeito de São Borja, Eduardo Bonotto, se manifestou a respeito do passaporte vacinal. A iniciativa, proposta pelo governo do Estado, determina a exigência de comprovante de vacinação para acesso em atividades e locais nos quais há maior risco de contágio de covid-19, como festas e competições esportivas. Conforme Bonotto, os municípios devem ter a sua autonomia, pois os prefeitos e prefeitas gaúchas conhecem a realidade em seus municípios e sabem quais medidas podem e devem ser adotadas.

     Segundo o presidente, o contato está sendo realizado com a secretária de Saúde, Arita Bergmann, e com o secretário-chefe da Casa Civil, Artur Lemos, para tratar do assunto. “Passamos o anseio dos municípios e o pedido de autonomia em relação as demandas que vem sendo anunciadas nos últimos dias. Sabemos que é no município que a vida acontece e os prefeitos sabem da realidade lá nas suas cidades, quais medidas que podem ser tomadas e adotadas, claro que sempre observando os protocolos e buscando estar mais próximos da população”, salientou.

     Bonotto afirmou que, neste momento, é preciso ações concretas, que sejam objetivas e tenham resultados positivo na vida das pessoas. Frisou que a saúde pública deve vir em primeiro lugar, mas que também é preciso olhar para os demais setores da sociedade que tem passado por muitas dificuldades durante esse um ano e meio de pandemia.

     “Nesse sentido que entendemos que o Artigo 8º-A, do Decreto Nº 56.120/21, estabelecido pelo governo do Estado, que diz que poderá ser exigida a comprovação, mantem-se a autonomia dos municípios para realizem seus trabalhos, dentro das suas realidades, sabendo das diferenças que possuímos no nosso Estado do Rio Grande do Sul e assim fazendo um trabalho positivo”, justificou.

     O presidente da Famurs também ressaltou que a abertura do diálogo por parte do governo estadual, que esta semana poderá reavaliar a exigência do passaporte vacinal, é positiva e vista com bons olhos. “É um momento de esperança do pós pandemia, da retomada com todos os cuidados, pra gente avançar e olhar um Brasil mais juntos para todos os brasileiros”, finalizou.


MAIS NOTÍCIAS