Política


Vereadores de Bento são absolvidos da acusação de receber propina

Judiciário entende que não há qualquer prova que incrimine Rafael Pasqualotto e Marcos Barbosa
23/11/2021 Texto e Foto: NB Notícias

     Após uma investigação de praticamente quatro anos, o juiz Paulo Meneghetti, da 2ª Vara Cível de Bento Gonlçalves, absolveu, nesta segunda-feira (22), os vereadores Marcos Barbosa, hoje secretário de Mobilidade Urbana, e Rafael Pasqualotto, atual presidente do Legislativo, da acusação de receber propina para aprovar mudanças no Plano Diretor de Bento. Em 2017, a criação da Emenda 165, que permitiria a construção de prédios mais altos na região dos bairros São Bento e Planalto, gerou uma denúncia de que os parlamentares teriam negociado por até R$ 40.000,00 a alteração na legislação que beneficiaria investidores do ramo mobiliário. 

     No entendimento do magistrado, contudo, não houve por parte do Ministério Público (MPRS) a apresentação de qualquer prova que pudesse indicar ilegalidades em meio à discussão das modificações do texto da lei. A investigação partiu de uma gravação do então vereador Gustavo Sperotto, que em uma reunião comunitária foi flagrado dizendo que os colegas estariam envolvidos no esquema, mas as contradições verificadas nos depoimentos não fizeram com que as evidencias testemunhais tivessem peso para uma condenação.

     O judiciário também ouviu outros edis e empresários com os quais eles teriam conversado na época, mas todos negaram qualquer tratativa envolvendo valores e garantirem que os encontros realizados seriam normais em meio ao debate relacionado ao Plano Diretor, que afetaria vários setores da comunidade bento-gonçalvense.  


MAIS NOTÍCIAS