Geral


Vinhos e espumantes têm o melhor momento da história das exportações

De janeiro a setembro de 2021, vinícolas ampliaram em 62% a saída de bebidas
24/11/2021 Portal Adesso - Foto: Divulgação

     A qualidade de vinhos e espumantes brasileiros ganha cada vez mais reconhecimento e, consequentemente, a ampliação de áreas de atuação no mercado internacional. Estudo apresentado ao Conselho de Planejamento e Gestão da Aplicação de Recursos Financeiros para Desenvolvimento da Vitivinicultura do Estado do Rio Grande do Sul (Uvibra-Consevitis-RS) pela Ideal Consulting, empresa de auditoria de importação e inteligência de mercado, mostra que de janeiro a setembro de 2021 o Brasil exportou 690,4 mil caixas de 9 litros das bebidas, o que representa crescimento de 62% em relação ao mesmo período de 2020. 

     Do total, os vinhos tranquilos apresentaram crescimento de 66% no volume exportado nos nove primeiros meses do ano, enquanto os espumantes apresentaram alta de 36%. Em valor, o crescimento total foi de 54%, somando U$ 9,5 milhões.

     O Rio Grande do Sul (RS) continua sendo o Estado que concentra a maior parte das exportações brasileiras, com 92,5% do valor total, seguido por São Paulo e Paraná. Os espumantes continuam mostrando seu potencial e oportunidade de crescimento nos Estados Unidos, país que é responsável por 87% das exportações dessa categoria e registrou crescimento de 57% em volume e 53% em valor. Já os vinhos tranquilos continuam tendo o Paraguai como principal destino, com 79% das exportações.

Mercado interno

     Em setembro de 2021, conforme relatório da Ideal Consulting, a comercialização das vinícolas nacionais somadas às importações de vinhos e espumantes registrou 49 milhões de litros, volume 3% menor em comparação ao mesmo mês de 2020, no entanto, se comparado a 2019, período de pré-pandemia, as vendas representaram alta de 32%. No acumulado de janeiro até setembro de 2021, o mercado movimentou 355,3 milhões de litros, volume 2% menor que o mesmo período de 2020.

     Quando comparados os últimos 12 meses, outubro de 2020 a setembro de 2021, o mercado movimentou 492,5 milhões de litros, volume 2% superior ao mesmo período de 2019/2020. Galtaroça aponta que o volume tem se mantido próximo ao patamar de 2020, com uma leve desaceleração da comercialização na ponta da operação, ou seja, ao consumidor final, principalmente pelo varejo, devido ao retorno da normalidade, após um período de pandemia. 

     Nos nove primeiros meses de 2021, os espumantes brasileiros representaram 84% no mercado total, com crescimento de 58% na comercialização. Já no acumulado do ano, de outubro 2020 a setembro 2021, foi registrada alta de 22% nas vendas. O vinho fino brasileiro permanece em alta, com crescimento de 30% no mesmo período e os vinhos importados 15%.

     Luciano Rebellatto, coordenador da Uvibra-Consevitis-RS, destaca que o setor está apresentando ótimos resultados de mercado, com o grande desafio de manter, em 2022, a alta de consumo e comercialização de vinhos brasileiros notada em 2020 e 2021. “As exportações de nossos produtos têm sido um caminho secundário de comercialização que vêm se solidificando cada vez mais, como mostram os números de valor e volume exportados. Outro ponto que não podemos deixar passar é o lançamento da campanha publicitária de apoio ao consumo de vinho brasileiro, lançada em outubro, que vem ao encontro dos nossos objetivos estratégicos. ‘Vinho pode tudo. E tudo pede vinho’ tem o foco no mercado interno e tem reverberado ótimos resultados por todo Brasil", comemora Rebellatto.


MAIS NOTÍCIAS