Política


Vítima do MDB: Prefeito Alex é afastado do cargo pelo TRE

Derrotados na última eleição em Garibaldi conseguem por enquanto, que o voto da maioria da população não tenha valor
27/11/2021 Portal Adesso - Foto: reprodução

     Pela primeira vez na história dos 121 de Garibaldi, um prefeito municipal é afastado do cargo pela justiça. Na tarde desta sexta-feira (26), o prefeito Alex Carniel e o vice-prefeito Sérgio Chesini, ambos do PP, receberam a determinação do TRE - Tribunal Regional Eleitoral, para que imediatamente se afastassem do cargo.

     Geralmente a justiça é  lenta, mas desta vez, o TRE agiu com agilidade, e em pouco mais de 48 horas após os desembargadores decidirem por 4 X 3 que o prefeito deveria perder o cargo, o acórdão do processo foi realizado.

     Agora, o prefeito e vice ainda vão recorrer da decisão em Brasília, no Superior Tribunal Eleitoral -TSE, que inclusive poderá suspender o ato do TRE e permitir que os dois políticos, eleitos pela maioria dos votos da população de Garibaldi, retornem ao cargo enquanto se defendem.

   Quem assume a prefeitura municipal é a presidente da Câmara Municipal de Garibaldi, Márcia Pedersetti (PP).  Se esta decisão for mantida, uma nova eleição municipal deverá ser realizada no próximo ano, e Alex Carniel ficará inelegível por 8 anos. 

     No início da noite desta sexta- feira, Carniel publicou um vídeo em suas redes sociais e falou do trabalho realizado em apenas 11 meses. O prefeito lamentou que a eleição de Garibaldi tenha chegado a este nível, onde derrotados não aceitando a derrota, entraram na justiça para “ganhar no tapetão”. 

     O CRIME

    O fato considerado crime eleitoral pela coligação do candidato derrotado nas urnas Antônio Fachinelli (MDB), é de que Alex Carniel teria colocado um rastreador no carro do ex-prefeito Antônio Cettolin (MDB) que sequer era candidato. Cettolin, Fachinelli e a coligação do MDB alegam que este fato  teria prejudicado o partido nas urnas e que Carniel teria obtido vantagem com isso. 

      A denúncia foi arquivada pelo juíz de Garibaldi, Gerson Martins da Silva, por considerar que a o uso do rastreador não é crime e que em nada interferiu no resultado eleitoral. Porém, o MDB recorreu desta decisão e levou o caso no TRE que também ficou indeciso se ocorreu qualquer tipo de crime, pois no julgamento, a decisão dos desembargadores terminou empatada em 3 x 3.

     O voto de desempate foi do presidente do TRE, que acolheu e aceitou a denúncia do MDB, considerando que este fato interferiu na última eleição.

   A defesa do prefeito Alex  Carniel e do vice-prefeito Sergio Chesini vai agora encaminhar recurso especial ao Tribunal Superior Eleitoral - TSE.

     A sede de Poder do MDB de Garibaldi

     Independente do que ocorre no campo jurídico, o fato é de que o MDB de Garibaldi jamais aceitou a derrota nas urnas. Com grande desgaste após governar Garibaldi por 16 anos e ter secretário envolvido em operação da Polícia Federal, o ex-prefeito Antônio Cettolin, não conseguiu eleger seu sucessor, Antônio Fachinelli, que era seu vice. 

     Carniel em apenas 11 meses de administração, vinha fazendo uma gestão diferenciada e isso incomodava o partido adversário, pois atrapalharia os planos do MDB de retornar a prefeitura na próxima eleição.

     Cettolin que após deixar a prefeitura “conquistou” um cargo de assessor de deputado e recebe um salário de cerca de R$ 15 mil/mês, utilizou este fato ocorrido no seu veículo durante a campanha, para junto com a coligação derrotada, ter um grande um fato político. No dia que encontraram o equipamento no carro, rapidamente todo o MDB foi para as redes sociais e imprensa para dizer que haviam sofrido um “grave atentado”.

     Para o MDB local, independente da vontade do eleitor, estar na prefeitura de Garibaldi é como se fosse obrigação, pois a sigla tem sede de poder e faz de tudo para sempre estar no paço municipal. Ao longo da história política da cidade, qualquer ameaça aos planos de poder da sigla é amplamente combatida com denúncias.

     Foi assim com o ex-prefeito Vandenir Miotti, depois como ex-prefeito Cirano Cisiloto e agora com Alex Carniel, todos denunciados pela mesmo partido. 




     





MAIS NOTÍCIAS