Economia


Indústrias de Bento tem alta nas exportações e geração de empregos

O crescimento deve-se à baixa base de comparação, principalmente do primeiro semestre deste ano
22/12/2021 Portal Adesso - Foto: Divulgação

     O setor moveleiro de Bento Gonçalves apresenta crescimento de faturamento em 2021. Com base nos dados oficiais da Sefaz/RS, o incremento nos primeiros dez meses do ano foi de 49% em relação ao mesmo período de 2020. A partir dessa média, o Sindicato das Indústrias do Mobiliário de Bento Gonçalves (Sindmóveis) projeta que o ano encerre com faturamento 45% maior na comparação com o ano anterior. Houve também crescimento nas exportações e na geração de empregos.

     O faturamento de móveis exportados cresceu 42,4%. Estima-se que o ano encerre com incremento de 40% nas exportações de móveis produzidos na região com destino para fora do Brasil. Já a geração de empregos cresceu 4,5% em 2020 e 10,9% em 2021. Dessa forma, mesmo no ano passado houve geração positiva de empregos e tal fato está ocorrendo de modo mais expressivo em 2021. O segmento emprega mais de 38.000 trabalhadores no Rio Grande do Sul e quase 7.000 no polo do município, considerando os dados mais atualizados do Caged.

     O referido crescimento deve-se em parte à baixa base de comparação, principalmente do primeiro semestre deste ano com o mesmo período de 2020, tendo em vista que, naquela época, a pandemia estagnou o setor. Além disso, com a retomada da economia, muitos mercados, dentre eles o de móveis, passaram a ter problemas de escassez de matérias-primas, com alta dos preços e forte impacto nos custos de produção, elevando o preço final dos produtos e, consequentemente, o faturamento bruto. Essa elevação, no entanto, não foi acompanhada na mesma proporção pelo aumento da produção, das vendas físicas e da lucratividade.

Perspectivas

     Considerando esse cenário e as peculiaridades do segmento moveleiro, que consegue se reinventar em meio às dificuldades econômicas, tanto o Sindmóveis quanto a Associação das Indústrias de Móveis do Estado do Rio Grande do Sul (Movergs) projetam crescimento nominal de 5% a 6% no faturamento do setor em 2022.

     Isso em um cenário semelhante ao vivenciado em 2021, sem que a produção física acompanhe tal aumento e considerando que a base de comparação dessa vez será mais expressiva (todo o ano de 2021). Esse cenário pode ser alterado, mas dependerá de muitos fatores, como controle da inflação, geração de empregos, nível dos gastos públicos e foco em ações que gerem a retomada do crescimento brasileiro.

 


MAIS NOTÍCIAS