Política


Com “ajudinha” do MDB, vereador de 391 votos senta na cadeira de prefeito

Zé da Patrola (PDT) só assumiu a prefeitura devido ao processo movido pela coligação de Fachinelli e Cettolin
03/01/2022 Portal Adesso

     Nenhum eleitor de Garibaldi, muitos menos o próprio vereador José Bortolini, o Zé da Patrola, poderia imaginar que nos primeiros dias de 2022 assumiria o comando da Prefeitura Municipal de Garibaldi. Com apenas 391 votos na última eleição municipal, José Bortolini só foi eleito devido ao quociente eleitoral. Se não fosse a ação do MDB contra a chapa de Alex, o vereador jamais sentaria na cadeira do Executivo. 

     Ele é o terceiro prefeito a assumir o cargo em apenas um ano, e toda esta reviravolta ocorreu, pois a coligação do candidato derrotado Antônio Fachinelli (PDT, PTB, MDB, PL, DEM, PSD e PCdoB), moveu ação judicial alegando que o candidato a prefeito Alex Carniel e o candidato a vice-prefeito Sérgio Chesini teriam sido beneficiados eleitoralmente pois um rastreador havia sido instalado no automóvel do então prefeito Antônio Cettolin (MDB) que não era candidato.

     Na decisão em primeira instância na justiça de Garibaldi, o juiz e o promotor arquivaram o caso, pois consideraram que este fato não teria modificado em nada o resultado eleitoral na cidade. Descontentes com a decisão da justiça de Garibaldi, a coligação de Fachinelli e Cettolin recorreu e a ação foi julgada pelo Tribunal Regional Eleitoral – TRE. 

     Na segunda instancia, os desembargadores também ficaram em dúvidas sobre a campanha eleitoral em Garibaldi. O relator do processo e mais dois desembargadores Votaram contra o MDB e disseram que não houve qualquer tipo de interferência ou benefício no resultado da eleição e ainda afirmaram que a decisão dos eleitores através do voto popular era soberana. Já outros três desembargadores votaram a favor da ação do MDB e disseram que teve a coligação de Alex cometeu abuso de poder econômico. Como ficou empatado o julgamento, a decisão final foi do presidente do TRE que votou pela cassação da chapa Alex Carniel X Sérgio Chesini. Por 4 X 3, o prefeito e vice-prefeito foram afastados e agora recorrem no Tribunal Superior Eleitoral – TSE em Brasília. Conforme a decisão, o prefeito Alex pode ser cassado em definitivo e novas eleições realizadas em Garibaldi, ou Alex poderá voltar ao cargo. 

Rastreador não é Crime

     Tanto a justiça de Garibaldi, quanto a maioria dos desembargadores, não consideraram crime o fato de um rastreador ter sido instalado no carro do ex-prefeito Antônio Cettolin (MDB). “Pode ser um ato imoral, mas não criminal ou que tenha influenciado no resultado das eleições em Garibaldi”, disse um dos desembargadores em seu voto. 

     Como não há crime no uso do rastreador, os desembargadores que votaram a favor da cassação se basearam no crime de abuso de poder econômico, afirmando que foi utilizado uma camionete Spin para colocar o rastreador no carro de Cettolin e esta camionete teria sido comprada com dinheiro da campanha eleitoral e que o veículo não teria sido contabilizado na prestação de contas da campanha. Os advogados de Carniel afirmam que isso é uma versão fantasiosa e que nenhum veículo foi comprado com dinheiro de campanha eleitoral. 

MDB e a sede pelo poder: Primeiro foi Vandenir, depois Cirano e agora Alex

     Na história política de Garibaldi, esta é a terceira vez que um prefeito da cidade é envolvido em uma ação da justiça que pede a cassação dos direitos políticos. As denúncias sempre foram feitas pelo MDB, primeiro foi com o prefeito Vandenir Miotti nos anos 90, depois, Cirano Cisilotto em 2013 e agora Alex Carniel.

     Vandenir que na época era do (PDS), entre outras situações, foi acusado pelo MDB de superfaturar e desaparecer com materiais na reforma do ginásio municipal de esportes. Na época, após Vandenir deixar a prefeitura, fiscais estiveram em Garibaldi conferindo o materiais adquiridos pela gestão e apontaram que faltavam telhas. As telhas estavam lá, mas antes da chegada da fiscalização, elas foram escondidas embaixo das arquibancadas do ginásio, cobertas com esterco. 

     O prefeito Cirano Cisilotto (PT), foi acusado de promoção pessoal, após a prefeitura produzir um jornalzinho informativo mostrando as obras na cidade. Mesmo o prefeito aparecendo de costas na capa, a justiça entendeu que Cirano se promoveu e cassou seus direitos políticos por 8 anos, além de severa multa. A denúncia contra Cirano foi feita por integrantes do MDB.

     Alex Carniel vinha se destacando na gestão municipal, e em apenas 11 meses estava mudando a cara da cidade. Desde do início do governo, apresentava a cada três meses as contas da prefeitura e vinha descobrindo uma série de problemas, como o sucateamento do parque de máquinas, e a falta de qualidade em muitas obras. Com grande apoio popular, Alex é o principal adversário dos planos políticos do MDB e por isso, a coligação derrotada tenta através da justiça removê-lo do cargo. 




MAIS NOTÍCIAS