Política


CPI do Transporte Coletivo deve ser protocolada

12/08/2013 Jornal Novo Tempo


     Deve ser protocolado nesta semana, com a assinatura de qua­tro vereadores (Gilmar Berté, Jorge Alberton, Tiago Ferranti e Leandro Delazzeri), o pedido para a instauração de uma CPI para investigar a denúncia feita pelo vereador Gilmar Berté (PT), durante a sessão ordinária de segunda-feira, 5 de agosto.

     Berté, que assumiu o lugar de Gilmar Antonietti - licenciado por motivos particulares - acusou o prefeito Antonio Cettolin de be­neficiar a empresa de transportes.

     “O prefeito utilizou dinheiro público, que deveria ser usado para compra de remédios, para comprar exames, para melhorar a educação, para dar creches à nossas crianças, para enriquecer o empresário de ônibus Darci Fur­lanetto, da empresa GT Transpor­tes”, afirmou Berté na tribuna.

     Na ocasião, falou sobre um Termo de Ajustamento de Con­duta (TAC), que foi assinado no dia 12 de julho, pelo promotor de Justiça, Paulo Adair Manjabosco, pela secretária Municipal de Edu­cação, Simone Cristina Rosanelli Chies, e pela presidente da Asso­ciação de Estudantes Universitá­rios da Unisinos (Agesinos), Ca­roline Covolo Berté.

     No documento, há o ‘compro­misso de ajustamento à lei’ extra­judicial, já que a Mosna Turismo (Conesul) teria sido prejudicada na escolha da empresa que faria o transporte de estudantes para a Unisinos.

     “Considerando que, a despei­to da empresa Mosna Turismo ter apresentado a menor proposta de preço, foi lhe autorizado transpor­te em apenas um turno, ao passo que a empresa GT Transportes foi agraciada com transporte em dois turnos em manifesta ilegalidade e conferindo direcionamento de contratação”, destaca o promotor.

     Com a TAC, a partir do segun­do semestre, a Conesul passará a realizar o transporte em dois tur­nos e a GT ainda manteria um tur­no, já que a Conesul somente teria um veículo que atenderia os requi­sitos exigidos pela legislação.



MAIS NOTÍCIAS