Política


Vereador grita na tribuna e colega foge do plenário em sessão de Garibaldi

07/04/2016 Portal Adesso - Foto: arquivo

     Embate com ânimos acirrados é resultado do projeto em que a prefeitura cortou transporte para universitários que fazem curso igual ao existente em Garibaldi.

   Mais uma vez, a sessão da Câmara de Vereadores de Garibaldi entra para história, infelizmente por motivos ruins, onde parlamentares ao invés de apresentar projetos que beneficiem a comunidade, ficam se desafiando parecendo estar em um ringue.

     Rebatendo o vereador André Busa (PMDB) que na sessão anterior havia dito que o vereador Leandro Delazeri (PP) estava faltando com a verdade quando falou que instituição de ensino de Garibaldi é de propriedade de familiares de políticos que possuem ligação com o atual prefeito Antônio Cettolin (PMDB), Delazeri utilizou seu tempo regimental com “sangue nos olhos” e em vários momentos parecia ter perdido a cabeça gritando e dando socos na tribuna.

     O vereador do PP expos documentos em um telão mostrando que a faculdade FISUL é de propriedade da Família do Deputado Márcio Biolchi (PMDB), fato que havia sido negado pelo vereador Busa, inclusive insinuando que Leandro estava mentindo. Quando viu que a “chapa” estava esquentando, o vereador do PMDB levantou-se de sua cadeira e sem dizer nada sumiu do plenário, ausentando-se da sessão durante cerca de 10 minutos.

     Enquanto isso, Delazeri continuou a gritaria e numerou outros atritos que segundo ele foram promovidos pelo vereador André. Dentre eles, o projeto feito pelo vereador do PMDB onde retirou o plano de saúde dos dois vereadores do PP, pois os mesmos possuem esposas servidoras concursadas no município.

     “Este vereador só faz trabalhadas. No início do mandato ele foi até a secretaria de saúde e disse que o governo anterior havia comprado remédios vencidos, quando na verdade eram medicamentos que a população levava até a secretaria para descarte, isso é maldade”, esbravejou Leandro. Eu nunca desrespeitei ninguém, mas o vereador desrespeita todo mundo. Está na hora de alguém fazer alguma coisa, disse Delazeri em outro momento.

     Ao deixar a tribuna, a sessão continuou mais tranquila, mas nenhum dos vereadores que ocupou o espaço logo depois se manifestou sobre o episódio. Comentários dão conta que o microfone foi quebrado, mas Leandro Delazeri nega.

     Entrevistado sobre o episódio, o vereador “Cabeça Quente” disse que não está fazendo nada demais a não ser alertando a comunidade:

     "Sendo a faculdade de propriedade da Família do Deputado, o prefeito Antônio Cettolin que chegou a se afastar da prefeitura para fazer campanha política para Biolchi não poderia criar uma Lei obrigando estudantes de Garibaldi a estudar na Fisul. No meu ponto de vista Cettolin está obrigando, pois, a prefeitura não paga transporte para universitários de Garibaldi que desejam estudar em outra faculdade na qual existe aqui o curso. Ou seja, com este Lei, estudantes não podem escolher estudar em outro lugar, se estudar, não tem transporte. Um absurdo!", comentou o vereador do PP.

     Ainda sobre este mesmo tema na semana passada, a equipe do Portal Adesso procurou a direção da Faculdade Fisul para se manifestar que afirmou não comentar sobre discussões de cunho político-partidário. O vereador André Busa (PMDB) não foi localizado para comentar o assunto.

 

 

 

MAIS NOTÍCIAS