Política


Há poucos meses para o fim do mandato, vice-prefeito de Bento renuncia cargo

23/06/2016 Portal Adesso - Foto: Rádio Difusora
Anterior Próximo

     Mário Gabardo (PMDB), explicou os motivos em uma Carta Aberta para a comunidade que foi divulgada durante entrevista coletiva na manhã desta quinta-feira (23).

     Utilizando como espaço o plenário da Câmara Municipal de Vereadores, já que a quase dois meses teve o gabinete transferido do prédio da prefeitura, o vice-prefeito de Bento Gonçalves, Mário Gabardo, eleito na coligação com o atual prefeito Guilherme Pasin (PP), resolveu renunciar ao cargo.

     Antes de protocolar o pedido, Gabardo falou das razões que o levaram a tomar tal atitude, sendo as principais o isolamento do governo e o não cumprimento das promessas de campanha. “Fui eleito para quatro anos, mas no desenrolar do caminho houve um rompimento da coligação. Ao mesmo tempo após fevereiro, houve um distanciamento e afastamento progressivo do cargo de vice-prefeito. O que culminou mais recentemente foi o afastamento do vice-prefeito para deixar o próprio prédio da Prefeitura, jogando-me numa sala onde tinha duas cadeiras e um birô somente. Uma triste realidade de desprezo com o vice-prefeito”, comentou.

     Além da carta, o agora, ex-vice-prefeito também entregou uma cópia das propostas de governo da coligação PP-PMDB usadas em 2012 na eleição de Guilherme Pasin. “É preciso levar a sério o que se prepõe em campanhas eleitorais. Eu não renuncio os meus princípios de seriedade e honestidade”, argumentou.

     Ele alegou ainda que não se sente a vontade de continuar junto com o Governo, “quando a população quer mudanças”. O vice-prefeito lembrou as propostas de campanha como na segurança, saúde e educação, que no seu entendimento, não estariam sendo cumpridas. A decisão teve o aval da executiva municipal do PMDB, que deixou o governo em março deste ano.

     Mário Gabardo havia permanecido por ser um cargo eletivo, mas mudou de ideia agora. Até o momento, o prefeito Guilherme PAsin ou a prefeitura ainda nao se manifestaram sobre o caso. 

 

CARTA ABERTA DE PEDIDO DE AFASTAMENTO

Em 2012 fui eleito pela população, após ser indicado pelo PMDB, como vice-prefeito. Como vitoriosos nas urnas, assumimos um compromisso de bem governar o município de Bento Gonçalves ao lado do prefeito e da população. Passado algum tempo, nossa proposta inicial de melhorias para a sociedade bento-gonçalvense foi deixada em segundo plano.

Muito pouco desta proposta foi levado a sério. Houve omissão em relação à segurança pública, não honrando o compromisso de viabilizar a criação de uma Guarda Municipal. Também faltou empenho para concretizar as melhorias prometidas da gestão pública, como a construção de um Centro Administrativo. O descaso com a agricultura também foi grande, não persistindo na busca de recursos para o Programa de Asfaltamento do Interior (PAI), ao contrário do que ocorreu nos municípios vizinhos. Sendo assim, o PMDB rompeu com o governo e deixou seus cargos em fevereiro dest3e ano.

Decidi permanecer na administração para respeitar o voto de confiança que a população de Bento Gonçalves me deu, apesar de estar cada vez mais afastado das decisões do governo. Em abril, sem dialogar, o prefeito, através de seu secretário de administração, solicitou que eu desocupasse o prédio da prefeitura, o que de fato ocorreu, selando ainda mais a situação de isolamento.

Passados mais de dois meses deste episódio, distante do diálogo e sem poder contribuir para melhorias que a cidade necessita, decido deixar o cargo. Vou me dedicar a partir de agora a contribuir, com base na minha experiência de quase três décadas de vida pública, para o projeto de um novo governo inserido nas aspirações do povo bento-gonçalvense. Por estar inserido no governo, constatei que é possível melhorar bastante a gestão pública, bastando para tal: planejamento, controle de execuções e, sobretudo, transparência.

Bento Gonçalves, 23 de junho de 2016

Mario Gabardo

MAIS NOTÍCIAS