Geral


Câmeras de segurança não estão funcionando, diz presidente do Feconsepro

01/11/2016 Portal Adesso

     Em entrevista ao programa Fatos e Debates da Adesso TV, o presidente da Federação dos Conselhos Pró-Segurança Pública do Estado do rio Grande do Sul (Feconsepro-RS), Adílson Frá, afirmou que a  vigilância oferecida à população, através das câmeras de segurança, oferece falhas quanto seu monitoramento. “Quem diz que elas serão visualizadas frequentemente, é mentira, eles não irão ver, existe falta de pessoal”, comentou Frá.

     Um novo sistema está sendo proposto e em breve aplicado no Estado. “A gestão integrada, com a montagem de um gabinete será instalado na capital gaúcha, onde o acompanhamento de todo o estado será possível,  e tão logo aconteça o delito, será possível observar o rumo tomado por ele”, relata o presidente.  Quanto a  câmeras que identificam e aponta veículos em situação de roubo ou furto, ele comentou que é um absurdo o estado cobrar três centavos por cada consulta que é feita. “Se é para oferecer segurança, porquê cobrar ? questiona ele.

    Em relação a segurança  de modo geral, ele foi taxativo.  “Só falta oficializar, mas oque já está sendo feito pelas cidades, quanto a segurança de seus habitantes, em breve terá que ser feito pelos municípios, pois o governo do Estado, que deveria estar oferecendo este benefício ao cidadão, não está cumprindo com isso”, enfatiza Adílson.

     Citou um exemplo do município de Bento Gonçalves, onde o empresariado busca arrecadar em torno de R$ 700 mil reais, para ser aplicado na segurança pública.

     Em relato apresentado, Frá apresentou números quanto ao volume de policias. Conforme ele, de um total de 39 mil servidores, hoje se tem 17 mil, uma perda de  mais de cinquenta por cento. Isso irá piorar, com policias indo para o quadro da reserva e  em 2017 poderá chegar a 15 mil, uma defasagem considerável em termos de policias para a segurança.

 

MAIS NOTÍCIAS