Polícia


Polícia começa ouvir testemunhas da morte de Rodolfo Haefliger

28/11/2016 Portal Adesso- Foto Arquivo
Anterior Próximo

     Na semana que passou, foram ouvidos dois dos ocupantes do automóvel Peugeot, que atropelou e matou o barbosense, Rodolfo Haefliger, 25 anos, no dia 5 de novembro.

     Na versão dada à polícia, os passageiros, um de 17 e outro de 18 anos de idade, confirmaram ter parado em um posto de combustíveis  e comprado cerveja. Eles também afirmaram que o motorista do automóvel estava em velocidade a cima dos 100 Km/h.

     Relataram que tinham saído da Feliz, e iriam a um Shopping na cidade de Novo Hamburgo.

     O menor disse que deixou o local do acidente, por estar apavorado e saiu em busca de ajuda. Lembrou que com o impacto, dois dos ocupantes foram arremessados para fora do automóvel, ficando desacordados e o motorista, inconsciente, ficou no carro. Soube da morte do ciclista pelo facebook.

     O colega confirmou em depoimento, a compra de cervejas, mas que o motorista não bebeu, alegando que iria dirigir. Comentou que o motorista se assustou com a presença dos ciclistas, perdendo o controle do automóvel.

     O delegado de Bom Princípio, Paulo Gilberto Baladão, responsável pelo inquérito, irá ouvir nos próximos dias Fernando Henrique Gutheil, 21 anos, outro ocupante do veículo. Ele ficou ferido com gravidade e segue em tratamento.

     O condutor do carro e acusado pela morte, Douglas Fritsch, 19 anos, também sofreu lesões, precisou ser internado e agora está preso preventivamente na penitenciária Estadual de Montenegro, onde será ouvido.

     Outra testemunha já ouvida, foi Eduardo Junges Lauxen, 22 anos, cunhado da vítima. Ele relatou que o carro estava em alta velocidade e Rodolfo não teve como escapar, falecendo no local. Mencionou ainda, que os ocupantes do veículo apresentavam visíveis sinais de embriaguez e garrafas estavam no interior do carro.  

     Declarações testemunhais de pessoas que presenciaram o fato, ou visto o motorista dirigindo o carro em alta velocidade, ou ingerindo bebida, também poderão entrar em contato com a polícia.

     A conclusão do inquérito que vitimou Rodolfo, deverá estar concluído em trinta (30) dias.

 

 

 

 

 

 

 

 

MAIS NOTÍCIAS