Polícia


Polícia Civil busca elucidar ainda três mortes em Carlos Barbosa

09/09/2013 Claudir Pontin e Dayan Santarosa - Rádio Estação FM

     Dois homicídios e um latrocínio (matar para roubar) ocorridos em Carlos Barbosa permanecem sem esclarecimentos. A Polícia Civil busca elucidar esses casos com base em investigações, perícias e depoimentos. “Nos três casos nós temos suspeitos e agora buscamos elementos que comprovem a participação deles na autoria dos crimes”, disse o titular da Delegacia de Polícia do Município, Leônidas Augusto Costa Reis. De qualquer forma o delegado destaca outros casos já esclarecidos, dentre eles, o do jovem André Zanuz, em que dois adolescentes foram identificados e recolhidos para a instituição de menores infratores de Caxias do Sul.

 

Dezembro de 2012-Execução na Rota do Sol

Um homem acusado de tráfico de drogas foi executado com seis tiros em Carlos Barbosa nas margens da RSC 453 (Rota do Sol) na manhã de terça-feira 11 de Dezembro de 2012. Vanderlei Otoviez Quadros, 32 anos, foi alvejado por um atirador após uma perseguição pela rodovia. Conforme informações da Polícia Civil, um homem de motocicleta perseguiu Quadros, que tripulava a moto placa IOA-6057 de Bento Gonçalves.

 

Abril de 2013 - Caso Zarpelon

Egídio Zarpelon, 64 anos, foi morto durante um assalto no interior de Carlos Barbosa no dia 6 de Abril.  Os criminosos invadiram o depósito de batatas por volta de 11h45min em Santo Antônio de Castro. O homem foi atingido por quatro disparos. Na ocasião os bandidos fugiram em uma Toyota Rav 4, placas ITY 0905, que foi roubada na cidade de Lajeado e foi abandonada próximo do pedágio em Boa Vista do Sul.

 

Maio de 2013- enterrado na Linha Vitória

Natural de São Pedro do Sul, Elias dos Santos Hahn, foi encontrado morto na manhã de sexta-feira, 5 de Maio, em local de difícil acesso nas margens de um riacho na Linha Vitória, interior de Carlos Barbosa. A área fica aos fundos do Salão e da Igreja da comunidade. O corpo estava escondido embaixo de muitas pedras e foi retirado com ajuda dos Bombeiros Voluntários. Como nenhum familiar foi buscar o corpo no IML de Bento Gonçalves, Hahn foi sepultado como indigente três dias depois no Cemitério Público Barbosense.

 

 

MAIS NOTÍCIAS