Geral


Em Carlos Barbosa, segue a polêmica em torno da antiga locomotiva

05/09/2017 Portal Adesso - Fotos: Arquivo e Ari Heck
Anterior Próximo

     Desta vez, materiais encontrados na pedreira do município viraram Caso de Polícia. Caso envolvendo antiga Maria Fumaça se arrasta há pelo menos sete anos.

     Entre 2007/2007, o município de Carlos Barbosa recebeu do Museu do Carvão uma locomotiva Maria Fumaça. Na época, o objetivo era restaurá-la e utilizar o equipamento como um ponto turístico, uma vez que a cidade foi construída e se desenvolveu através da estrada de ferro.

     Devido ao alto custo, as administrações passadas resolveram não efetuar a restauração, e como a locomotiva é de propriedade do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), em certa oportunidade, a prefeitura aceitou em devolver a locomotiva, pois existia o interesse de um grupo de Porto Alegre a ficar com o equipamento, já que o trem circulava pela capital.

     A partir disso, uma grande polêmica entre prefeitura e comunidade iniciou, sendo que até abaixo assinado foi feito, para que a Maria Fumaça permanecesse em Carlos Barbosa.

     Nesta segunda-feira (04), mais um capítulo desta história teve desdobramentos. O presidente da Associação de Moradores do Bairro Ponte Seca, Ari Antônio Heck, registrou na Delegacia de Polícia local, o abandono dos vagões e equipamentos da antiga Maria Fumaça. Com provas em mãos, Heck, disse que eles estavam jogados na pedreira municipal de Carlos Barbosa.

     Ao Portal Adesso, Ari afirmou que isso se configura abandono de patrimônio histórico e por isso registrou B.O. “Resolvi tomar providência, pois se trata de monumentos com mais de cem anos e estão jogados, mal cuidados junto a entulhos e restos de construções”

     Já o Secretário de Administração Fábio Fiorotto disse que o que está na pedreira municipal são ferros das estruturas dos bancos e não peças da locomotiva. Fiorotto disse ainda que nada foi abandonado, mas sim colocados no local.

     Até o momento, o caso segue sem solução. Não há confirmação da devolução por parte da prefeitura, ou a restauração da locomotiva.

 

 

MAIS NOTÍCIAS