Geral


Banrisul: depois de 36 dias, impasse sobre a greve vai para a Justiça

25/10/2013

     A direção do Banrisul protocolou nesta quinta-feira, no Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região, um pedido de mediação para tentar encerrar a greve dos servidores do banco, que já dura 36 dias. A instituição considerou esgotadas as possibilidades de negociação a partir do ofício encaminhado pela Federação dos Trabalhadores em Instituições Financeiras do RS (Fetrafi/RS), informando ter rejeitado a proposta apresentada pelo banco. Com isso, o impasse só deve se resolver pela via judicial.

     Hoje, 40% das agências seguiram fechadas ou com atendimento restrito no Estado, conforme a Fetrafi-RS. O percentual equivale a 185 das 459 unidades. A paralisação segue em 21 dos 38 sindicatos gaúchos, além de cidades catarinenses. Em Porto Alegre e na região Metropolitana, 45 bancos fecharam total ou parcialmente, de acordo com o Sindbancários. O Banrisul, porém, rebate os dados dizendo que adesão é de cerca de 25% no Estado e de 36% na Capital.

     A categoria marcou para esta sexta-feira uma caminhada estadual, que deve ocorrer no Centro de Porto Alegre. A concentração ocorre a partir das 12h na rua Caldas Junior, em frente à direção geral do Banrisul. Às 14h os servidores fazem uma assembleia unificada na Igreja Pompéia.

      Os trabalhadores pedem avanços no plano de carreira, Participação nos Lucros e Resultados (PLR) linear de 2%, reajuste de 8,5% em todas as gratificações e verbas adicionais, inclusão das horas da greve do Banrisul na regra da Federação Brasileira dos Bancos (Fenaban) e renovação das demais cláusulas do acordo de 2011. Além disso, em relação ao plano de carreira, querem aumento do número de vagas por merecimento, com desvinculação do resultado financeiro do banco e retomada dos trabalhos da Comissão Paritária sobre Plano de Carreira.

MAIS NOTÍCIAS