Geral


Trabalhadores do Moinho da Isabela seguem sem receber salários atrasados

21/08/2018 Portal Adesso - Foto: Arquivo

     Para advogado responsável pelos processos, não há expectativa de que os pagamentos sejam feitos, até o final do próximo ano. Desde a última semana, anúncio com ofertas para trabalhar no Moinho da Isabela, em Bento Gonçalves, vem se espalhando pelas redes sociais.

     Entretanto, a mesma empresa segue sendo processada pelos 76 trabalhadores, que foram contratados para construir o moinho em questão e, até o momento, ainda não receberam o pagamento total pelos serviços prestados.

     Em entrevista ao PORTAL ADESSO, o advogado Vanderlei Zortea, responsável por acompanhar os processos, afirma que apenas 10 trabalhadores, receberam uma pequena parcela do valor total. Entretanto, não há expectativas dos pagamentos integrais serem realizados até o final de 2019.

     De acordo com o advogado, quatro juízes estão cuidando dos processos. Até o momento, dois já deram suas decisões, onde as empresas M. Dias Branco e S&N Engenharia foram condenadas a pagar os valores atrasados a 19 trabalhadores.

     Entretanto, a responsável pela Isabela entrou com um recurso e com isso, conseguiu sua exclusão do pagamento. Já a S&N se encontra em recuperação judicial, estando também impossibilitada de realizar os pagamentos.

     Já o terceiro juiz, determinou na primeira audiência realizada, que pagamentos de parcelas rescisórias, fossem pagos imediatamente a 10 trabalhadores. Com isso, cada um dos ex-funcionários recebeu uma quantia de R$10 mil em maio deste ano. O quarto juiz por sua vez, ainda não realizou a segunda audiência com as empresas e trabalhadores.

     O Portal Adesso tentou contato com a empresa para que a mesma falasse sobre o caso, mas não localizamos o responsável.

Relembre o caso

Após serem contratados para trabalhar na construção do moinho, os 76 trabalhadores foram dispensados em dezembro de 2017, sendo que estavam com dois meses de salário atrasado. No momento da rescisão, direitos como décimo terceiro, férias, férias e fundo de garantia, não foram pagos.

 

 

 

 

MAIS NOTÍCIAS