Saúde




É Baixa a procura por laqueadura e vasectomia em Garibaldi

Os procedimentos são ofertados gratuitamente para maiores de 25 anos ou pessoas com no mínimo 2 filhos
08/02/2019 Cassiano Valente/Portal Adesso

     A secretária de saúde Simone Agostini de Moraes considera pouca a procura pelas cirurgias de vasectomia e laqueadura. Em 2018, 27 mulheres procuraram o procedimento. No ano anterior, que começaram a ser realizadas as cirurgias em março, o número foi de 29. No mesmo período a procura por vasectomia não chegou a 20.

     Para a secretária, o cuidado com a saúde familiar parece fazer parte do DNA da mulher. “São elas que buscam mais pelo procedimento porquê se preocupam com a estrutura da família. Até mesmo exames mais rotineiros dos homens são geralmente agendados pelas suas esposas”, destaca Simone.

     Conforme lei federal de 1996, os dois procedimentos são gratuitos para maiores de 25 anos ou pessoas com 2 filhos. Simone sublinha que todo o procedimento custeado pelo SUS é realizado no hospital de Garibaldi, sem a necessidade de internação. No procedimento feminino, vale ressaltar que é preciso obedecer um período de carência para mulheres que deram à luz, sofreram ou realizaram aborto nos últimos 60 dias.

     Sobre o controle de natalidade, Simone lamenta que a classe menos privilegiada é quem mais sofre com uma família mais numerosa. Ela lembra de um caso específico de uma mulher que tinha 8 filhos. Nesse caso, o juiz determinou que ela fizesse a laqueadura, mas a mulher se negou. Quatro dos oito filhos foram entregues para adoção.

     Simone ainda destaca que existem várias maneiras anticoncepcionais oferecidas gratuitamente nos postos de saúde do município: Pílula anticoncepcional, preservativos, injeção trimestral e DIU. 

MAIS NOTÍCIAS