Política




Protocolado pedido de suspensão do vereador de Bento Moacir Camerini

Projeto de resolução da Mesa Diretora pode afastamento temporário do parlamentar por 30 dias
07/05/2019 Rádio Difusora 890/Bento Gonçalves

     O Projeto de Resolução 05/2019, da Mesa Diretora da Câmara de Vereadores de Bento Gonçalves – que deu encaminhamento via Comissão de Ética seguindo o que manda o Regimento Interno -, que suspende de forma temporária o exercício do mandato do vereador Moacir Camerini (PDT) pelo prazo de 30 dias foi protocolado nesta tarde de segunda-feira, dia 6. O motivo é o Processo Ético Disciplinar nº 12/2019. Assim, está habilitado para entrar na pauta da próxima sessão ordinária, na segunda-feira, dia 13. Para ser aprovado é necessária maioria simples, ou seja, nove votos.

     Ele teria acusado na tribuna o vereador Anderson Zanella de ter passado em uma cooperativa terceirizada, na presidência, e nesta função, teria aplicado golpes nos servidores. O pedido de suspensão alega que Camerini não teria cumprido sua função conforme rege o Código de Ética Parlamentar como: zelar pelo prestígio, exercer mandato com dignidade e respeito à coisa pública, manter o decoro parlamentar e preservar a imagem da Câmara Municipal, tratar com respeito e independência os colegas; entre outros. “É uma punição exagerada e descabida. Se torna uma perseguição política, haja visto que o presidente da Comissão de Ética (Zanella) é o líder do governo, que tenho feito oposição na Câmara. Tenho certeza que os vereadores vão votar contra este medida absurda”, afirmou Camerini.

     Já o vereador Zanella, diz que “fomos surpreendidos por palavras infundadas do vereador nas duas últimas sessões do ano, quanto a nossa suposta participação em uma cooperativa de trabalho, e que teria prejudicado os cofres públicos. Por não concordar e saber que não é verdade fizemos esta denúncia na Comissão de Ética”, disse.

     Por ser o presidente da Comissão de Ética, o processo foi remetido pelo relator Jocelito Tonietto (PDT), que é do mesmo partido de Camerini. O diretório da sigla não se manifestou sobre o assunto. O Projeto de Resolução apresenta ainda um Mandado de Segurança impetrado por Camerini na 3ª Vara Cível de Bento Gonçalves alegando ter sofrido censura na sessão de 16 de outubro de 2017, quando Zanella teria o ofendido. Na época o Ministério Público indeferiu e a Justiça julgou improcedente.

     Consta ainda um apontamento da Comissão de Ética de um episódio em que Camerini não compareceu em uma Audiência Pública de Prestação de Contas do 2º Quadrimestre da Secretaria Municipal de Saúde, em 28 de agosto de 2017, por motivos de saúde, sendo que foi flagrado no mesmo dia e horário em uma reunião partidária.

Denúncias

     Recentemente assessores do vereador denunciaram no Ministério Público do Trabalho em Caxias do Sul que foram impedidos de executar seus trabalhos por uma semana, sendo que teriam vencimentos descontados dos dias não trabalhados. A Rádio Difusora apurou que o MPT remeteu para o Ministério Público (MP-RS) de Bento Gonçalves. A reportagem procurou o órgão, mas não foi possível confirmar que procedimento foi tomado até o momento.

     Soube-se ainda que o PDT de Carlos Barbosa teria remetido em março deste ano uma denúncia contra Camerini por suposta fraude em sua eleição como coordenador regional do partido, quando levou pessoas não filiadas para a escolha e votação.


MAIS NOTÍCIAS