Coronavírus


Frigorífico Nicolini terá que testar funcionários antes de retomar atividades

Aqueles que testarem positivo serão afastados das atividades pelo prazo de 14 dias, como determinado pela Secretaria Estadual de Saúde
07/05/2020 Portal Adesso - Foto: Divulgação

     O Termo de Ajuste de Conduta (TAC), assinado pelo Frigorífico Nicolini junto ao Ministério Público do Trabalho do Rio Grande do Sul (MPT/RS), impõe, como condição para a retomada das atividades na empresa, a testagem de coronavírus ao efetivo que retornará ao trabalho. Serão testados, ao menos, 375 funcionários. Esse número representa 25% do total de empregados do frigorífico.

     Aqueles que testarem positivo serão afastados das atividades pelo prazo de 14 dias, como determinado pela Secretaria Estadual de Saúde. A aplicação dos teste pode gerar um aumento significativo nos números de caso em Garibaldi e em municípios vizinhos. Já foram confirmados 60 casos em funcionários do frigorífico Nicolini.  

     Dentre as medidas ajustadas, destacam-se a reorganização do fluxo dos trabalhadores para eliminar aglomerações, especialmente em espaços comuns e setor produtivo da fábrica; adoção de sistema de renovação de ar; e distanciamento de empregados na linha de produção. O documento é específico para o contexto de pandemia de Covid-19 e implementa diretrizes de prevenção e combate estabelecidas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e por órgãos municipais, estaduais ou federais da área. O documento também prevê os períodos de afastamento remunerado para suspeitos de Covid-19, limitação de empregados transportados por veículo fretado, realização de vacinação trivalente, também gratuita, contra influenza A (H1N1), A (H3N2) e B dos empregados, de modo a melhor identificar os casos sintomáticos de coronavírus e evitar coinfecções.

     A Nicolini é a quinta empresa do ramo de frigoríficos a assinar TAC com o MPT no Estado sobre o coronavírus. Recentemente, outras unidades frigoríficas no Interior tiveram surtos da doença, com propagação para a população em geral, o que levou à interdição de uma planta, em Passo Fundo, e a decreto com medidas de prevenção definidas pelo Executivo estadual para o setor. Estima-se que ele empregue em torno de 65 mil pessoas no RS. Todos os TACs preveem a cobrança de multas em caso de constatação de descumprimento, reversíveis a entidades beneficentes locais, ou, como no contexto atual de pandemia, a ações de combate e prevenção ao coronavírus no Estado.

     Confira o acordo completo no link: http://www.prt4.mpt.mp.br/images/Ascom/2020/05/06/tac_25-2020_Gerado-em-05-05-2020-19h25min35s.pdf

MAIS NOTÍCIAS