Política


Governador mantém região da Serra em bandeira vermelha

A partir da próxima semana o modelo de distanciamento controlado será rodado às quintas-feiras, com a divulgação do resultado às sextas
17/06/2020 Portal Adesso - Foto: Gustavo Mansur/Palácio Piratini

     O Governador Eduardo Leite anunciou, na tarde desta terça-feira (16), a manutenção da bandeira vermelha para região da Serra Gaúcha. Com a medida, estão mantidas as restrições mais rígidas para conter o coronavírus. A bandeira foi questionada pelos Prefeitos da região, que apresentaram dados ao Governo do Estado, e também a informação que macrorregião da Serra terá um acrescimo de 26 leitos de UTI nos próximos dias. A determinação vale até o próximo sábado, 20, quando ocorre a troca de bandeira novamente. 

     Atendendo uma demanda dos Prefeitos a partir da próxima semana, no dia 25 de junho, o modelo será rodado às quintas-feiras, com a divulgação do resultado às sextas-feiras. Os prefeitos, portanto, poderão apresentar contraponto, caso achem necessário, até a segunda-feira, quando o Gabinete de Crise avaliará o que foi enviado. O resultado definitivo será divulgado às segundas-feiras, e a vigência das bandeiras passará a ser a partir das terças-feiras.

     Durante a live o Governador defendeu o modelo de distanciamento controlado aplicado no Estado. "O modelo que desenvolvemos serve para que façamos restrições, no Estado, de forma mais racional. Nunca prometemos que o Rio Grande do Sul estaria blindado contra o coronavírus devido à aplicação do modelo. A ideia é impormos restrições na proporção, no local e no momento em que forem necessárias, uma vez que a alternativa era restringir tudo, em todo o Estado, o tempo todo, o que parecia desproporcional", explicou o governador.

     Eduardo leite ainda afirmou que as novas regras do modelo são para antever possíveis situações de caos no sistema de saúde. "Nosso modelo tem sido uma boa referência para o Brasil. Não adianta atuarmos apenas quando as UTIs e os hospitais estiverem superlotados porque, se houver tamanha disseminação do vírus, o controle se torna extremamente difícil. Aí, perdemos vidas, perdemos a proteção à saúde e perdemos a retomada da economia, porque teremos de parar e, talvez, por mais tempo, por termos deixado de agir no momento certo", enfatizou Leite.

     Após o anuncio os Prefeitos da AMESNE realizaram reunião virtual para alinhar as próximas ações da região. "Muito embora nossa batalha por apresentar os dados atuais, de Bento e região, tenha sido de extrema importância estamos sendo julgados pelos dados da semana passada. Não temos alternativa se não cumprir o decreto Estadual. Um grupo maior e regional está sendo montado, justamente para que estes dados sejam entendidos e compreendidos por todos. Continuaremos contestando a situação, porém como povo ordeiro e responsável precisamos discutir as regras, mas cumprir com a legislação proposta", disse o Prefeito de Bento Gonçalves, Guilherme Pasin. 


MAIS NOTÍCIAS