Saúde


Ministério da Saúde adquire medicação para as UTIs gaúchas

Os medicamentos serão distribuídos nos hospitais afetados pela escassez a partir deste final de semana
20/07/2020 Portal Adesso - Foto: Divulgação

     O Ministério da Saúde (MS), atendendo reivindicação da Famurs, da Federação das Santas Casas Santa Casa e Hospitais Beneficentes, Religiosos e Filantrópicos do RS, e de outras importantes entidades, adquiriu de laboratórios uruguaios parte dos produtos que compõem o KIT intubação, conjunto de medicamentos utilizados para sedação, analgesia e bloqueio neuromuscular em cirurgias e também na intubação de pacientes com casos graves da Covid-19 nas Unidades de Tratamento Intensivo (UTI).

     Os medicamentos serão distribuídos nos hospitais gaúchos afetados pela escassez a partir deste final de semana. Os produtos foram transportados até Porto Alegre (RS) em caminhões do Exército Brasileiro, depois de serem recebidos no Porto Seco de Jaguarão (RS), fronteira com o Uruguai. Parte dos medicamentos será destinada a Florianópolis, e, no Estado do Rio Grande do Sul, a Secretaria da Saúde definirá os critérios para a distribuição, conforme as necessidades dos hospitais.

     A aquisição dos medicamentos pelo Ministério da Saúde foi facilitada pela relação binacional criada durante a assinatura do Acordo Sanitário entre o Brasil e o Uruguai – intermediado pela Secretaria da Saúde e pelo Governo do Estado – assinado no dia 26 de junho. “Mesmo que a compra de medicamentos seja de responsabilidade dos hospitais, durante a pandemia do coronavírus, essa compra internacional de emergência foi muito necessária”, afirmou a secretária da Saúde, Arita Bergmann.

     Além da compra dos medicamentos no Uruguai, o Estado aguarda o envio de um carregamento disponibilizado pelo próprio MS, ainda sem previsão de entrega. Também foi criada uma parceria com o Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV) e com o Conselho de Secretarias Municipais da Saúde (Cosems) para doação de itens liberados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que podem ser usados tanto em animais quanto em humanos.


MAIS NOTÍCIAS