Geral


MP de Bento irá destinar celulares apreendidos para estudantes

Smartphones vão ser entregues para alunos em vulnerabilidade social do Colégio Estadual Dona Isabel
19/11/2020 Portal Adesso - Foto: divulgação

     O Ministério Público de Bento Gonçalves irá destinar 100 celulares apreendidos em inquéritos policiais a estudantes em situação de vulnerabilidade social. A iniciativa faz parte do programa Alquimia II, desenvolvido pela Promotoria de Osório. Alguns dos aparelhos foram recuperados após terem sido arremessados para o interior da Penitenciária Estadual de Bento.  Nesta sexta-feira (20), às 11h, 88 smartphones serão entregues para alunos do Colégio Estadual Dona Isabel, localizado na rua Padre Raul Accorsi, bairro Universitário. Os demais aparelhos serão entregues posteriormente a estudantes de instituição a ser selecionada.

     A ideia de doar os celulares apreendidos aos estudantes partiu do Conselho da Comunidade, da Penitenciária de Bento, o qual debateu em reunião como seria possível auxiliar a comunidade além dos portões da casa prisional, tendo em vista a pandemia do Coronavírus. “A partir disto, começamos a estudar sugestões, sendo que a área educacional estava sendo muito afetada. Procuramos iniciativas que viesse ao encontro do objetivo do Conselho da Comunidade e este Projeto foi o mais cotado entre os conselheiros. A partir disso articulamos junto a Drª Carmen Lucia do Ministério Público que abraçou a ideia”, conta a presidente do Conselho, Regina Zanetti. Na sequência, a ação foi articulada com os órgãos competentes. “O poder Judiciário através da Drª Fernanda repassou os valores para que o Projeto Alquimia II se concretizasse”, complementa Regina.

     Após o processo, a Polícia Civil verificou os expedientes com celulares apreendidos e agilizou a conclusão das investigações. O Conselho da Comunidade na Execução Penal orçou o custo para formatação e preparação dos smartphones para uso, conseguindo com a empresa Celular Express o valor unitário de restauração de R$ 20. O Consepro se prontificou a doar 60 chips. Os outros 40 foram adquiridos por R$ 7 cada. O Poder Judiciário destinou a verba das penas alternativas para custeio da formatação dos aparelhos celulares e compra dos 40 chips.

    A iniciativa dos promotores de Justiça Criminal de Bento Gonçalves, Carmem Lucia Garcia, Vanessa Bom Schmidt Cardoso e Eduardo Só dos Santos Lumertz, ao aderirem ao Projeto Alquimia II, leva em conta que, segundo informações da 16ª Coordenadoria Regional de Educação, 9,77% dos alunos da rede pública estadual de Bento Gonçalves permanecem sem acessar as plataformas de ensino para realização de atividades domiciliares, pois grande parte destes se encontra em situação de vulnerabilidade e não possui aparelho celular próprio. Em dados numéricos, são 1.776 alunos nessa condição, sendo a situação mais crítica a de alunos matriculados no Colégio Estadual Dona Isabel.




MAIS NOTÍCIAS