Coronavírus


Ex-ministro Osmar Terra está na UTI com Covid-19

Ele já participou do programa Prato Limpo em julho minimizando a pandemia
24/11/2020 Portal Adesso - Foto: Agência Brasil

     Ex-ministro da Cidadania, e atual Deputado Federal, Osmar Terra (MDB), foi um dos principais críticos do distanciamento social e defensor do isolamento vertical, no qual a quarentena é feita apenas por idosos e pessoas do grupo de risco. Dez dias após testar positivo para covid-19, ele está internado na Unidade de Tratamento Intensivo – UTI do Hospital São Lucas, da PUCRS. Terra chegou ao hospital no domingo (22), após sentir dificuldades para respirar. Uma tomografia revelou inflamação dos pulmões. 

     O deputado foi consultado pelos médicos se aceitava ser conduzido à UTI e concordou em ficar sob cuidados mais intensos. No momento, ele respira com ajuda de uma máscara e registra comprometimento pulmonar. No início da pandemia, Terra foi alçado ao posto do guru do bolsonarismo na área da saúde e subestimou o número de mortos. O País já tem 5,7 milhões de casos confirmados e supera 164 mil óbitos.

     No dia 18 de março, Terra disse que o coronavírus mataria menos que o H1N1, que deixou 2.098 pessoas mortas em 2009. Em 7 de abril, ele fez outra falsa previsão e disse que a covid-19 mataria menos que a gripe sazonal no Rio Grande do Sul, mencionando 950 mortos. O número foi alcançado três dias depois.

     Dois dias depois, em conversa com o atual ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, o deputado falou "entre 3 e 4 mil mortos". No diálogo flagrado pela CNN Brasil, Terra se propôs a ajudar na saída do então ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

     Na época, por ter se tornado uma voz contrária a Mandetta e alinhado ao que deseja o presidente, Terra foi cotado para chefiar a Saúde, mas jamais foi convidado, embora tenha atuado como conselheiro de Bolsonaro na crise sanitária.

     No Programa Prato Limpo, Osmar Terra participou no dia 23 de julho. Na oportunidade enviou um recado ao prefeito de Garibaldi Antônio Cettolin (MDB). "Cettolin, não adianta fechar praças, o vírus não vai diminuir", ressaltou. 




MAIS NOTÍCIAS