Agricultura


Frigoríficos e granjas reduzem a produção de aves

Setor avícola está reduzindo entre 15% e 30% a produção e o desabastecimento não está descartado
24/02/2021 Asgav - Foto: Asgav

     O cenário de custos elevados para o setor de proteína animal continua pressionando produtores e indústrias do setor avícola do Rio Grande do Sul. O setor aguarda a resposta de alguns pedidos encaminhados ao Ministério da Agricultura no que se refere a retirada de PIS/Cofins na importação de milho e também a liberação de importação de milho produzido nos Estados Unidos, porém, devido à demora de atendimento ao pleito encaminhado, indústrias e produtores partem definitivamente para redução de produção de carne de frango e ovos.

     Os preços do milho e farelo de soja estão há um longo tempo em patamares insustentáveis para manutenção das atividades de produção de carne de frango e ovos. Segundo informações recebidas da Organização Avícola do Estado do Rio Grande do Sul e suas entidades membros ASGAV e SIPARGS, nos últimos dias, indústrias e produtores do setor vem anunciando redução da produção entre 15% e 30%. “Estamos atentos à estes movimentos que é o reflexo da falta de soluções para estancar a elevação dos custos, continuando estas reduções de produção, poderemos ter como consequências desabastecimento de produtos avícolas, férias coletivas e até mesmo desemprego”, avalia José Eduardo dos Santos, Presidente Executivo da ASGAV/SIPARGS.

     Outra situação que deverá ser consequência da redução de produção no setor avícola será a diminuição de aquisições de grãos (milho e soja), embalagens e outros insumos utilizados na produção. Para os analistas do setor a situação é muito preocupante quando se vê o aumento de safra de grãos a nível nacional, diminuição das exportações de milho na casa de 18% no último ano e o preço do milho no mercado interno se mantem em patamares elevados.

     A redução de produção para muitas indústrias e produtores é eminente diante do atual quadro.



MAIS NOTÍCIAS