Saúde


RS declara situação de emergência em saúde pública pela circulação da Febre Amarela

Município de Bento Gonçalves já detectou um caso positivo para o vírus e deve promover ações para conter a disseminação da doença
29/04/2021 Portal Adesso - Foto: Reprodução/Internet

     A Secretaria Estadual da Saúde (SES) divulgou no final da tarde de quarta-feira (28), que o Estado do Rio Grande do Sul (RS) está em situação de emergência em saúde pública. O anúncio foi feito pela Secretária de Saúde do RS, Arita Bergmann e se deve pela confirmação da circulação do vírus da Febre Amarela.

     Visando conter o avanço do vírus, o Governo anunciou a criação do Centro de Operações em Emergência (COE) de Arboviroses, com a participação de representantes da Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs) e do Conselho das Secretarias Municipais de Saúde (Cosems). Também houve a divulgação de um manual com orientações sobre as arboviroses (doenças transmitidas por mosquitos infectados, como febre amarela, dengue, chikungunya e zika vírus).

     Conforme o Boletim Informativo Epidemiológico de Arboviroses, o RS registra 3.014 casos de dengue, mosquito transmissor do vírus Febre Amarela. Do total de registros, 2.923 casos são autóctones (contraíram a doença dentro do Estado) e cinco óbitos foram confirmados até o momento, sendo dois em Santa Cruz, dois em Erechim e um em Bom Retiro do Sul. Só de chikungunya constam 67 acasos em São Nicolau. Ijuí e Bento Gonçalves registram um caso cada.

     O Rio Grande do Sul não registrava a presença do vírus causador da febre amarela desde 2009. Para prevenir o avanço da doença, a SES orienta que as pessoas busquem realizar a vacina da Febre Amarela. A dose é aplicada uma única vez para faixa etária entre os cinco e os 59 anos. Para as crianças, é necessária a aplicação de uma dose aos nove meses e um reforço aos quatro anos.


MAIS NOTÍCIAS